Parece, mas não é

Deixe um comentário...
Quando você está em um lugar onde o fluxo de pessoas sempre é muito alto, geralmente acontecem situações que você precisa parar e analisar mais de uma vez para ter certeza do que realmente está acontecendo.
Uma das questões que mais afligem a nós, mulheres, é o fato de que no trem lotado podermos ser vítimas de assédio.
Só é preciso tomar cuidado para não acharmos pelo em ovo porque muitas vezes, a coisa não é bem o que imaginamos e antes de sairmos berrando, vamos checar se não está ocorrendo algo como alguns relatos abaixo.
Ser baixinho dentro de um trem lotado, é realmente complicado. Inclusive já fiz até uma história dizendo que eles sofrem porque não conseguem alcançar as barras superiores e se uma boa alma, não cede as barras laterais, a luta é se manter em pé nas viagens.
E foi justamente nessa situação que aconteceu algo constrangedor, mas muito engraçado no Potoque.
O baixinho em questão perdeu o equilíbrio em uma freada brusca, empurrando a mulher à sua frente e caiu sobre ela, em suas costas.
No vai e vem do trem, quem disse que ele conseguia sair daquele momento “assédio sem querer”?
O desespero era tanto para provar que nada daquilo havia sido intencional que quanto mais ele tentava, mais ele se encaixava na pobre mulher, que também não conseguia se desvencilhar do agarradinho em questão.
Resultado: só quando o trem parou na próxima estação é que conseguiram sair daquele enrosco e o coitado, roxo até a ponta do dedinho do pé, fugiu de tanta vergonha no meio da multidão, sem conseguir balbuciar um pedido de desculpas.
Ah, você pode se perguntar, ninguém ajudou? Não! Só ajudaram a aumentar as risadas com toda aquela bagunça.
Outro relato recente foi de um usuário que começou a sentir que alguém o coçava bem nas partes fofinhas de sua retaguarda.
Rapidamente, ele percebeu que a pessoa que estava à sua frente, queria se coçar, mas ao invés de seu próprio corpo, esticou tanto o braço que pegou o que não lhe pertencia.
O rubor na face de ambos se fez presente, mas também deu lugar ao sorriso discreto e a gargalhada solta assim que saíram daquele trem.





0 comentários:

Postar um comentário