Barulhinhos

Deixe um comentário...

Barulhinhos

 

Às vezes fico imaginando que a vida nos trilhos poderia ser um filme de musical daqueles bem dançantes, onde até para respirar os atores se utilizam desse estilo.

Nem sempre como um da Broadway, pois em muitos casos, não são músicas e sim, alguns barulhos na multidão.

Um dos dorminhocos de plantão é o tipo britadeira, como já bem sabem. A pessoa ronca tanto que atése “auto-assusta”.

Outro dia, assisti uma cena muito engraçada e por que não dizer, contraditória, com um ser abraçado àMorfeu que roncava muito alto. Ele estava segurando uma bexiga com os dizeres: “Tratamento de Ronco. Pergunte-me como!”.

Juro por Deus que se um dia eu precisar desse tratamento, não vou à clínica que fazia tal propaganda porque já vi que ela não funciona.

Outro barulhinho que irrita, em alguns momentos, é quando a pessoa senta do seu lado e até está usando um fone de ouvido, mas o volume é tão alto que ele não inibe quase nada e fica um zumzumzumpior do que se ele não estivesse usando os fones.

O pior mesmo é quando esse ser começa a cantar junto com a música, balançando a cabeça e dedilhando uma guitarra, ao estilo Air Guitar.

É cotovelada, cabelada, batucada e todos os “adas” que puder! Sem contar os grunhidos da tal música cantada.

Tem também o barulhinho que você não sabe de onde vem, mas sabe que logo, logo, a consequência de terem soltado chegará em suas narinas, seguido de outro famoso barulhinho: o xingamento das pessoas, com um “Ai, enterra” bem alto!

Agora, nem todos os barulhinhos são ruins e é até um pecado o chamarmos assim.

Em algumas estações existem pianos e eles estão à disposição para quem quiser mostrar o seu talento e por sorte, sempre esbarro com alguns que o tem.

É muito bom, em pleno horário de pico, chegar por exemplo, na Estação da Luz e enquanto todos andam alucinadamente para continuarem o seu destino, ouvir uma música ao piano. Já fui pianista na adolescência e talvez por isso, sempre me encanto com o som que ele emana.

E nisso eu paro e penso: em todos os lugares do mundo você sempre vai encontrar um cantinho que te alegra a alma. Concordam comigo?



 

0 comentários:

Postar um comentário