Sonambulismo

2 comments
A partir de hoje, quinzenalmente, no Jornal DAT, textos fora dos trilhos, mas com muito bom humor. Espero que gostem! 

                   Sonambulismo

 

Quem nunca falou dormindo ou andou por aí no colo de Morfeu, atire a primeira pedra!

Durante muito tempo, principalmente na adolescência, fui mais louca dormindo do que acordada.

Raramente dormia na casa de alguma amiga porque sabia que aprontaria algo e viraria chacota no outro dia.

Já acordei várias vezes sentada em cima do baú que ficava na cama e não tinha a mínima ideia de como tinha chegado ali.

Ou deitada no tapete de beirada da cama, toda encolhida e com frio.

Eu e minha irmã dormíamos juntas e quase toda noite, eu a acordava puxando seu pé.

No escuro, só restava a ela controlar seu medo e calmamente, mandava-me voltar para cama e dormir. Resistia um pouco, mas obedecia.

Pela manhã, já sabia que havia aprontado algo poisno café da manhã, ela não resistia e começava a rir de mim.

Sempre tive o hábito de dormir cedo, deixando meus pais e ela na sala assistindo TV.

De repente, depois de um tempo, abria a porta do meu quarto, ia para sala, sentava na mesinha em frente à TV e começava a mudar os canais.

Antes que minha mãe chamasse minha atenção, minha irmã falava baixinho:

- Mãe, ela tá dormindo!

E calmamente, falava em meu ouvido: - Déia, vaidormir!

Sonâmbula obediente voltava ao meu quarto sem pestanejar.

Nas férias na praia, ficávamos num quarto de colônia de férias com vários familiares e certa vez, acordei com todos rindo.

Sem entender nada perguntei o que havia aprontado.

Minha prima contou que de repente, todos conversando, eu começo a gritar:

- Vamos apostar corrida!

E comecei a nadar no colchão virando a piada das férias novamente.

Tinha altos diálogos dormindo e quanto mais o tempo passava, mais brava ficava quando me falavam para ir dormir.

Morei uma época com minha tia e dormia no quarto com minha prima que fazia faculdade à noite, chegando sempre quando eu já estava babando.

Ela conta que ao entrar no quarto, eu sentei na calma e comecei a brigar com ela, sabe Deusporque!

Rindo, ela só falava: - Vai dormir!

Indignada, dizia: - Para de me mandar dormir porque estou acordada.

Depois desse diálogo, caí na cama e continuei a dormir.

Louca? Só um pouco, ?

 

2 comentários: