Ei, eu te conheço?

Deixe um comentário...
Eu sou uma pessoa que guardo bem a fisionomia dos outros.
Basta cruzar o meu caminho uma vez que não esqueço mais.
O nome, nem sempre e isso é muito ruim, principalmente, quando a pessoa me cumprimenta e fala um sonoro: Andréia!
É algo tão simples perguntar o nome dessa pessoa de novo, mas ao mesmo tempo torna-se tão constrangedor que acabo por deixar a conversa sem citá-la, na torcida por um terceiro aparecer e soltar o bendito nome para eu lembrar.
Nos tempos atuais, é mais fácil ainda você virar “amigo” de alguém. A pessoa fala um Oi para você e já te adiciona nas muitas redes sociais de que você faz parte.
Muitas vezes isso gera um problema grande quando a pessoa reencontra você depois de um tempão e você não se lembra.
Eu fui professora durante muito tempo e hoje, meus ex-alunos são adultos. Alguns mantém a mesma carinha de criança, só que outros mudaram muito!
Formalizo meu pedido de desculpas para alguns que já cruzei por aí e não reconheci.
Aproveito para pedir: Mexam comigo! Identifiquem-se. Aí, fica mais fácil para eu lembrar. A idade chega e com ela, nem sempre reconhecer alguém de muitos anos funciona bem.
Também sou mestre em acenar para qualquer pessoa à noite, sem saber ao certo quem é a pessoa que estou cumprimentando.
Como chegou à noite já cansada ao extremo, a visão acho que diminui e quando algum carro passa por mim e buzina, eu dou tchau.
Penso assim: melhor cumprimentar sem saber para quem, do que falarem que sou antipática!
Fico feliz pelo menos porque não sou a única que faz confusões.
Não sei se foi um xaveco daqueles, mas em uma van indo para casa presenciei a seguinte história:
O rapaz chegou, sentou em um banco vazio e ao olhar para a menina ao seu lado, com um sorriso que emocionou a todos, solta um:
- Grazi?
Ela vira e fala um espantado: - Oi
Ele reforça: - Você é a Graziele, não é?
Ela diz: - Sim, eu sou, mas eu não tenho ideia de quem é você!
Ele, sem graça, solta: - Que engraçado, você é a Grazi, mas não é a minha amiga! Vamos ser agora?

Não consegui saber o final dessa história porque tive que descer da Van, mas foi uma boa sacada isso, não foi?


0 comentários:

Postar um comentário