Sempre Tia

Deixe um comentário...


Quando criança e me faziam a clássica pergunta “o que quer ser quando crescer?”, logo dizia que gostaria de ser professora.
Tinha uma lousa e passava horas inventando lições para meus amiguinhos imaginários e minhas bonecas, isso quando não brincava de escolinha com os vizinhos e primos.
Em minha época escolar, o respeito ao professor sempre foi equiparado àquele que devemos dar aos nossos pais.
O encantamento era inevitável. Duvido que alguém com a minha idade não se recorde da professora da primeira série?
Eu tive o prazer de rever a minha num recente Sarau que houve no Justiniano, a querida Dona Nilce.
Foi emocionante encontrá-la. Um filme de “só” 36 anos passou em minha cabeça e fiz questão de dizer à ela que se hoje tento galgar a honra de ser escritora foi porque ela me ensinou a juntar as letrinhas e transformá-las em palavras.
Ao me formar nessa no curso de Processamento de Dados, comecei a dar aulas em uma escola de informática.
Foi aí o começo de ser “tia”. A tia de informática.
Enquanto no horário comercial, minha carreira oficial era administrativa, à noite dava vazão ao meu lado “artista / cara-de-pau / professora” e confesso que era maravilhoso descobrir que ensinar nada mais é do que compartilhar o que sabe, mas sair de cada aula com o ganho imensurável dos ensinamentos não palpáveis: gratidão, atenção, admiração.
Depois, larguei a parte administrativa e me joguei de vez à profissão de ensinar. Foram 05 anos intensos onde desde os pequenos do Jardim de Infância até os maiores do Ensino Médio aprendiam a digitar com os dez dedinhos, paródias com comandos de Windows e propaganda de padaria no Power Point.
Hoje, a maioria já adulta, formada, com suas profissões e que me enchem de felicidade quando me reencontram, lembrando-se de tudo isso.
Juntos, damos risadas e não posso negar que me encho de orgulho quando falam que de alguma maneira, os ajudei no que são hoje.
Voltei para a área de informática e mantenho sempre a esperança que o respeito à esses profissionais volte em todos os âmbitos: alunos, governantes e pais.
Precisamos resgatar isso urgentemente.



0 comentários:

Postar um comentário